Seminário na CBF discute racismo e violência no futebol; residente Ednaldo Rodrigues defende punição para os clubes em caso de racismo
CBF

Seminário na CBF discute racismo e violência no futebol; residente Ednaldo Rodrigues defende punição para os clubes em caso de racismo

Acontece na quarta-feira (24) na CBF, Seminário de Combate ao Racismo e à Violência no Futebol. Na abertura institucional do evento, às 10 horas da manhã, além do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, o presidente da Fifa, Gianni Infantino e Alejandro Dominguez, presidente da Conmebol, além do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, representantes dos clubes que disputam os torneios organizados pela CBF, além de dirigentes de federações, do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e do Ministério Público.

Ainda no mês de maio, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, pediu “uma punição esportiva” para os clubes em casos de racismo, solicitando uma “pena mais dura” e propondo a retirada de “pelo menos um ponto” dos times que tiverem torcedores envolvidos em atos de racismo na Libertadores e na Sul-Americana.

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, vai pedir “uma punição esportiva” para os clubes em casos de racismo. Nesta sexta, a entidade vai enviar um documento à Conmebol solicitando uma “pena mais dura” e propondo a retirada de “pelo menos um ponto” dos times que tiverem torcedores envolvidos em atos de racismo na Libertadores e na Sul-Americana.

Endurecer punição no Brasil

Ednaldo Rodrigues, o primeiro negro a comandar a CBF defende a sentença mais dura também nas competições organizadas pela Confederação Brasileira de Futebol a partir do próximo ano.

” Quero propor uma ampla discussão aqui no Brasil para a próxima temporada. Vou pedir a perda de pelo menos um ponto a partir do ano que vem. Essa discussão vai ser boa para ver quem realmente quer combater o racismo no futebol”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.