América 0 X 0 ABC, olhar tático
Tática

América 0 X 0 ABC, olhar tático

Eugênio Gomes

Um grande jogo precisa de grande personagens. E começamos falando sobre os dois treinadores do clássico entre América e ABC, decidindo a final do segundo turno do campeando estadual Potiguar de 2022. 

O ABC  começou com uma mudança: entrada de Richardson na lateral-direita, no lugar de Luis Gustavo, com o intuito de anular Thiaguinho. E Eduardo na zaga ao lado de Ícaro. O América, manteve o mesmo time do último clássico. As melhores opções estavam à disposição de Leandro Sena. 

Como citei em uma breve análise em meu Twitter, a saída de bola com Juninho e a sua aproximação com Téssio e Araújo será algo que iria dificultar ao time alvinegro. Inicialmente, já observamos a troca entre o lateral, vindo por dentro, e o ponta do lado onde a bola se encontra. Essa movimentação é uma arma bem treinada da equipe. 

O ABC começou a partida com muita dificuldade. Richardson foi um jogador a menos no momento ofensivo: somente com a incumbência de marcar Thiaguinho (uma das armas de Sena). E foi bem em sua função. O espaço do eixo central, na frente da zaga do ABC continuou durante toda a partida. Fábio Lima somente marcou na primeira etapa. A preocupação com Thiaguinho era tamanha, que ele era o primeiro a combater o atleta americano ao receber a bola. O América foi bem superior na etapa inicial Na segunda etapa, observamos um ABC mais arisco. Com Wallyson, Varão e Kevin participando mais do jogo. Esses atletas fizeram com que; o ABC tivesse uma melhora na segunda etapa. Mas, continua com o mesmo problema que eu tenho citado sempre: a não participação dos volantes na criação do jogo ofensivo do alvinegro. Um problema que já poderemos chamar de crônico. Não protegem e não criam. Aos 18, a mudança de Leandro Sena, sacando Thiaguinho e colocando Luís Henrique dará fôlego novo, já que, Richardson anulou bem o camisa 11.  Felipinho não teve um grande dia, anulado por William e com dificuldade com a bola.

 As demais substituições foram as famosos “6 por meia dúzia”.  Com as expulsões de Zé Eduardo e Jefinho; o clássico se resumiu a um único detalhe. As equipes se posicionaram em um tradicional 4-4-1, utilizado por times que tem atletas expulsos. 

Em resumo, o ABC até pareceu jogar pelo empate; visto sua estratégia tática e o América buscou a vitória. O empate teve sabor de vitória não só pelo título, mas pelo futebol apresentado. Lucas Rex, Bruno, Alef; podemos citar grandes nomes da partida. Mas taticamente, o que tem jogado e o que jogou Juninho. Disparado, ao meu ver; melhor em campo. 

8 Comentários

  • Felipe Dias 6 de abril de 2022

    Booooa!!! 👏🏽👏🏽

  • THIAGO SANTANA PEREIRA 7 de abril de 2022

    Parabéns pelos comentários Marcos

  • Tom França 7 de abril de 2022

    Análise ao meu ver muito direcionada ao america, como se fosse um torcedor do time. Faltou falar sobre a ordem tática do ABC, que possibilitou Kelvin a criar a grande chance do jogo, no primeiro tempo. No segundo tempo, o ABC foi nitidamente melhor, e realmente me pareceu que as duas equipes estavam satisfeitas com o empate, sem se arriscarem muito.O america querendo o empate, pelo título, e o ABC querendo o empate, pela vantagem de jogar a segunda partida no Frasqueirão. Foi a impressão que me deixou.

  • Armando 7 de abril de 2022

    Concordo com você Tom França, este Eugênio assistiu outro jogo, Abc jogou muito segundo tempo, foi roubado pelo Zandrik e pelo Var
    Trio fifa pra os 2 jogos

    • Tom França 7 de abril de 2022

      Isso mesmo! Tem que ser tudo de fora, porque o árbitro local pode ser tendencioso pra ambos os lados. O VAR recomenda, mas a decisão final sempre é do árbitro central do jogo.

  • RAIMUNDO 7 de abril de 2022

    Comentário somente sobre o América. Pareceu tendencioso. Apenas uma observação .

  • Renato Marquês 7 de abril de 2022

    É vdd. Um pouco tendencioso, mas daá para aproveitar algo, da próxima, tirando a camisa do América, talvez fique mais profissional.

  • Carlos Henrique Chal 7 de abril de 2022

    Penso que o ABC, se não tivesse sido prejudicado pelo juiz e perdido Allan Dias, no pênalti, não marcado, teria acabado o campeonato ontem.
    A marcação do ABC, Já foi mais efetiva, o que falta é jogada de criatividade. Se Kelvin, não quisesse enfeitar o gol perdido, teria feito ele por baixo. Foi muito vaidoso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.